Fiat e Renault são os dois grandes players do mercado brasileiro

Fiat Toro, chega ano que vem

Fiat Toro, chega ano que vem

Oroch é jogada acertada da Renault

Oroch é jogada acertada da Renault

(Marco ASA) – Desde que eu era criança, via surgirem novas marcas no Brasil mas, em cada segmento, havia um líder incontestável. No setor de caminhões, o grande fabricante era a Mercedes-Benz. No setor de motos, a Honda era imbatível. No setor de carro, não tinha pra ninguém, a Volkswagen mandava, seja com seu Fusca, ou depois, com o Gol.

O tempo passou, o setor de caminhões ficou “pulverizado” e a capacidade de fazer um caminhão “on-demand” transformou a MAN (dona da VW Caminhões) em líder, a Honda motos continua nadando de braçada mas, no mercado de carros, a VW perdeu a liderança e a supremacia.

Por mais que a Chevrolet “belisque”a liderança com o Onix, que a Hyundai apareça no top 10 com o HB20 ou que o Ka seja um grande sucesso da Ford, Fiat e Renault serão os grandes players (jogadores) do mercado nacional. Isso porque a italiana e a francesa não têm medo de investir, de arriscar e de criar novos nichos. O maior exemplo é o segmento de picapes médias compactas, cujos veículos estão situados abaixo da S10 e acima da Strada.

A Renault saiu na frente com a Oroch, versão picape da Duster, com melhoria no espaço interno, caçamba convincente e preço bem menor que o das picaponas. No começo do ano que vem a Fiat contra-ataca com a Toro, com as mesmas dimensões e preços semelhantes.

Mas, vejas as provas de que Renault e Fiat dominarão o mercado brasileiro:

1) As duas não se cansam de criar segmentos ou carros que se adequam ao gosto dos brasileiros. Enquanto a Fiat viu, antes de todo mundo, que brasileiro adora um jipe de cidade, lançando sua linha Adventure, a Renault viu que brasileiro gosta de espaço e preço justo, lançando o Logan, com espaço de Corolla e preço de Voyage, e o Sandero, mais espaçoso e estiloso que o Gol, pelo mesmo preço do carro da VW.

2) Fiat e Renault tem marcas “irmãs” que ajudam a montar seu portfólio. A Fiat, por exemplo, é dona da Jeep, que lançou o sucesso Renegade, que se tornou o “Ecosport” do Grupo FCA. A Renault também utiliza a empresa irmã Nissan para diminuir custos. Exemplo disso é a nova picape grande que substituirá a Frontier, que também será a base da Alaskan, picape grande da Renault.

3) Outras marcas medrosas – Mas, o sucesso de Renault e Fiat também se deve às falhas da concorrência. A Toyota faz carros com ótima mecânica, mas os japoneses são precavidos demais, não arriscam. Além disso, o Toyota Etios é feio demais para ser líder de mercado e a Toyota vai demorar a muda-lo. A Honda também, teme qualquer crise e, por isso, sua linha de montagem é limitada e seus carros caros. A Chevrolet também vai “enrolar” pra lançar o substituto do Celta, enquanto a Fiat prepara um sub-Uno e a Renault vai lançar o lindo Kwid para substituir o Clio nacional. A Hyundai tem crise de identidade (não sei se é Hyundai ou CAOA) e apenas um modelo nacional em três versões, o bom HB20. A Ford, apesar do sucesso do Ka, anda em baixa. A PSA (Peugeot e Citroën) não consegue convencer o brasileiro que seus (bons) carros são nacionais (a maioria) e, portanto, sofrem com a pecha de que sua manutenção é cara. E a VW, ah, a Volkswagen… Depois de, arrogantemente, achar que o brasileiro continuaria comprando Gol como pão quente, é muito lenta em tomar decisões. Sua linha está envelhecida e o escândalo da mentira sobre a emissão de poluentes só complicou as coisas. Agora, vem um face-lift na família Gol que, ao meu ver, será tarde demais. Decisões erradas, como descontinuar a linda Parati para deixar a esquisita e cara Spacefox, não merecem perdão. A sorte é que a empresa tem bons produtos como o Golf, que será nacional, ou a Amarok, picape que agrada no segmento.

Novo sedã da Fiat terá versão hatch e perua

Novo sedã da Fiat terá versão hatch e perua

Quais os próximos passos da Renault e da Fiat:

Fiat: Além da picape Toro, a fábrica italiana prepara um sub-compacto mais barato que o Uno, um sedã médio que terá versão hatch (para substituir o Bravo) e uma versão perua (viva!), um novo Jeep mais caro que o Renegade e, finalmente, um novo Palio, mais moderno e arrojado.

Kwid será o novo compacto da Renault

Kwid será o novo compacto da Renault

Renault: A marca francesa, terá mais uma versão esportiva, além do Sandero RS, que será o Fluence RS, o Kwid, compacto que substitui o Clio, com versão aventureira, uma picape grande, a Alaskan, e, em breve, uma versão do Duster para sete lugares.

Como se vê, no mercado automobilístico brasileiro, bebe água limpa quem chega primeiro na fonte.

Marco ASA, ou Marco Antonio dos Santos Araújo, é jornalista automotivo, publicitário e escritor. Contatos pelo e-mail portalautoasa@gmail.com

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s